julho 22, 2005

Será que nunca mais aprendem?

"O primeiro-ministro solicitou ao Presidente da República a exoneração do ministro das Finanças, Luís Campos e Cunha.
Segundo uma fonte oficial, terá sido o próprio ministro a pedir a sua substituição, alegando razões pessoais, familiares e cansaço."
Agência Lusa
20/07/2005

"Razões pessoais, familiares e cansaço"?!
E é assim que querem persuadir os portugueses?
Desta forma, senhores governantes, cada vez o fosso será maior entre os políticos e a população.


Depois quem se admira das anedotas, como esta que circula por aí?
O senhor primeiro ministro afirmou há pouco que, por razões de controlo do défice, a luz ao fundo do túnel irá ser apagada.
Ou desabafos como o de um amigo meu:
Quem me dera ser ministro para me poder demitir por cansaço...

6 comentários:

  1. Taraaannnnnn!... E eis que assim se dá início àquilo que em breve, muito em breve, as agências noticiosas de todo o mundo e arredores, irão apelidar de Um-Caso-Sério-Lusitano-De-Contra-Cultura-De-Gestão, a mais estrondosa e fabulástica papa de sarrabulho que abrirá novos mundos ao imundo poder que nos atasca! A brisa que desliza contra os ventos do mau-agouro dos ineptos, inaptos e outros alarves que pululam no pântano da sociedade portuga.

    Bons augúrios, meu caro, afia as farpas!

    Um abraço marítimo.

    ResponderEliminar
  2. Fui o primeiro, caspite! E o segundo!! São duas honras! É muito!

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. E só não foste o único porque eu também estou a comentar (além da São Rosas, que pelos vistos se arrependeu do que ia dizer).
    Um abração de Coimbra até ao arrastão, OrCa!

    ResponderEliminar
  5. Bem, isto por aqui está uma vertigem!!!... A malta raspa-se das "coisas sérias", que é uma beleza. E olha que fala a experiência... Vais ver que tem algo a ver com aquele história de sermos todos primos.

    Entretanto, já tenho duas coisitas alinhavadas para corresponder ao teu desafio. Sabes como é: o Sol, as ondas, eu sei lá... Mas há-de sair!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  6. Vê lá se cumpres...
    Um abração,
    Paulo

    ResponderEliminar