dezembro 22, 2012

Respostas de um pai ateu

"Não gosto de ser anti-nada, é uma questão de princípio. Não sou anti-deuses porque seria ridículo proclamar-me inimigo de seres imaginários. Seria como dizer que sou anti-Asterix. E também não sou anti-religioso. O meu discurso tenta trazer à luz os absurdos das crenças religiosas na medida em que essas crenças são utilizadas para tirar direitos básicos a outras pessoas."


(Clemente G.a Nouvella, autor de Onde Está Deus, Papá? Respostas de Um Pai Ateu, editora Verso da Kapa)

Gosto de lucidez.
Palminhas.

12 comentários:

  1. Tive eu uma conversa sobre este tema ontem, com colegas na empresa à hora do almoço, e agora é que tu me apresentas isto tão bem resumidinho...

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Olha, obigadinho...

      :O)

      Eliminar
  3. Pois... mas nós, Homens, precisamos dos Deuses.
    Inventamo-los a partir dos nossos corpos, das envolvências de vida ao nosso redor, a partir do maravilhoso inexplicável.
    E isto, pela razão importantíssima que consiste no processo de pensamento. O pensar, é muitas vezes comparado ao acto de computar dados mas na verdade são coisas muito diferentes. Um computador compila dados mas o Homem pensa, e para pensar projecta cenários, recorre á maravilha que é imaginação. E é a imaginação o Olimpo de todas as divindades, coisa que um computador nunca será capaz de fazer. Quando muito irá repetir os algoritmos extirpados a partir de uma determinada análise circunstancial.
    Um computador nunca terá necessidade de ter um Deus, nem terá ilusões de óptica ou deixará escapar um "ah" de admiração perante um acto de ilusionismo.
    Os velhos deuses não morreram, o que morreu foi a nossa visão deles, disse Fernando Pessoa. Esses velho Deuses foram substituidos por outros, do qual o Deus-pai é agora o Dinheiro, e o seu Olimpo, as caixas cofres-fortes dos tio Patinhas, quer essas caixas fortes sejam de aço ou de água baptismal, o Poder e o Medo, andam sempre de mãos dadas, são alter-ego um do outro. Cuidem das vossas almas enquanto cuidamos do nosso dinheiro e Deus gosta da pobreza porque esta é o caminho do céu, como o interior dos templos das igrejas bem demonstra...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu davas um belo "Testemunha de Jeová"... ou bolseiro (de ir aos bolsos) da IURD...

      Eliminar
    2. Já me tem tentado dar secas mas levam com uma tal dose de argumentos que das duas uma; ou me vão chamando de satanás na terra ou chegam a casa e queimam aquela compilação de textos mais alimados que os carapaus aos quais chamam de Biblia

      Eliminar
    3. Por outro lado.....
      Com a crise que aí anda....
      Queres ser a primeira convertida e seres também a primeira a inaugurar-me com uma generosa dízima...
      Bora ensaiar...(sem dó)
      Olhe, minha irmã... o que você dá a um póbri, está dando a Deus.
      ELE vê o que você faiz, e ele sabi qui você é bom, então Deus lhe dá a primazia na vida Iterna, mezminho ao seu lado, do lado djireito juntinho a Cristo seu filho e nosso salvadó...

      Eliminar
    4. E venham as moedas, as notas e os cheques.... porque Deus é bom....

      Eliminar
  4. Ai os homens precisam dos deuses? Olha, as mulheres nem por isso. Pelo menos esta não precisa - e basta que haja uma para que a generalização seja falaciosa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu! E eu!
      (a não ser que Eros conte... mas não como deus e sim como estado de espírito)

      Eliminar
  5. P.S. - O "ahhh" de admiração é o que leva à filosofia ou ao espírito filosófico, curioso, desperto, anti-dogmático. Atribuir o que nos espanta aos deuses é fácil, mas não é o meu caminho.

    ResponderEliminar