abril 02, 2014

As amigas

Um dia escrevo sobre as amigas. Sobre as gargalhadas quando partilhamos cenas de novelas. Sobre as dislexias. Sobre os beirões. Sobre as nossas cumplicidades. Sobre as opiniões e as sugestões. Sobre o metermos o bedelho e o que sofremos. Sobre viagens e passeios. Sobre feiras e festas. Sobre homens e gajos. Os que passam. Os que ficam. Os que nunca vêm e os que nunca foram. Sobre os segundos ao telefone. Sobre as horas ao telefone. Sobre os enganos de cada uma. Sobre o êxito e o sucesso. Sobre lágrimas de dor. Sobre lágrimas de euforia. E principalmente lágrimas de muito fervor pois os beirões não perdoam. Sobre os segredos de cada uma. Sobre as madrugadas ganhas. Sobre os filmes e as séries. Sobre expetativas. Sobre roupas e vernizes, cabelos e sapatos. Sobre saldos. Sobre sonhos. Sobre Roma. Sobre jantares e almoços. Sobre livros. Sobre frustrações e desejos. Sobre filhos. Sobre homens e gajos (acho que já tinha referido mas fica aqui na mesma). Sobre esperança. Sobre poesia e prosas. Sobre músicas. Sobre canções. Sobre canções do bandido e bererés. Sobre projetos e planos. Sobre o fundo do poço e a solidão. Sobre as piadas que só nós conhecemos. Sobre concertos. Sobre promessas. Sobre festivais. Sobre medo. Sobretudo sobre medo. Sobre força. Sobre união. Sobre a vida. Sobre elos. Sobre amor. Sobretudo sobre amor. Amor que sentimos umas pelas outras que é para lá dos buracos negros. Amor que não nos cansamos de dizer, transmitir e fazer sentir principalmente quando tantas vezes o medo, a angústia e a frustração se apoderam de grande parte de nós.
Um dia escrevo sobre as amigas que são tudo em todos os momentos.
Mesmo quando o feitio é o que é. Cada uma delas sabe o que esperar de cada uma, em cada momento.
Um dia escrevo.

16 comentários:

  1. Quando falas em Beirões... não te referes só a Licores, pois não?

    ResponderEliminar
  2. Ó Mad... pois qualquer dia te falo do inverso disso. Eu também tive uma "amiga", certo tempo, e também falávamos de tudo, de tuuuudoooo mesmooo. Eu namorava um "cabra" (aliás, eu o indiquei para emprego mesma empresa na qual eu trabalhava, mas mais pela sua competência profissional). Pois bem, ela também trabalhava lá. Resumindo: os dois me colocaram um belo par de chifres! Até aí, tudo bem. Doeu, chorei, mas disse a mim: quer saber, sou bem mais do que isso! E segui em frente. A moça pediu demissão - talvez pelo constrangimento - e continuaram a namorar (o que durou pouco, menos de 1 ano, creio). Aí o "cabra"quis reatar o namoro comigo, e eu o mandei à....à... à "China".rsss
    Tenho excelentes amigas, mas são poucas e raras, mas aprendi a não mais falar de "tudo"...especialmente elogiar o parceiro para as amigas (e nem para os amigos). Confesso que me dou melhor com homens, do que com mulheres, para se ter como amigo/a.
    Mas acredito na amizade. Prezo por uma e penso que sei ser amiga.Faço meu dever de casa muito bem.
    Por exemplo, o PM tem potencial para se tornar um amigo. Tem um requisito que dou nota mil: bom humor... e isso, di per si, já me ganha.

    ohhhhhhhhhhhhhh! rsss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mamãe, se o PM lê isso fica com o nariz empinado... ah... olha... não é o nariz...

      Eliminar
    2. Espera que ele venha aqui e pergunta-lhe :O)

      Eliminar
  3. só não acrescentei que o "cabra" e eu somos excelentes amigos, e continuamos na mesma empresa, e sou conselheira profissional dele, somente.
    (ainda bem que ele não sabe que aqui escrevo, nem que tenho um blog...- isso é externo à vida profissional - rss.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Paulo Moura também ainda não leu isto...

      Eliminar
    2. Pena que um outro Paulo Moura, brasileiro, já foi "embora". Tocava clarinete como poucos, além de saxofonista, arranjador e regente. Esses "Paulos Mouras" fazem mesmo a diferença!

      Eliminar
    3. Orquestra de Paulinho Moura... meu homónimo!...

      Eliminar
    4. "Mamãe, se o PM lê isso fica com o nariz empinado... ah... olha... não é o nariz..."
      "Espera que ele venha aqui e pergunta-lhe :O)"

      "antão", diz lá...o que ficou empinado?

      Eliminar
    5. Ele foi-se embora... de nariz empinado... ah... espera... não era o nariz...

      Eliminar
  4. Respostas
    1. 21 pontos de interrogação?! Ena, tantos!

      :O)

      Eliminar