abril 27, 2014

«Grândola, Vila Morena! Meu sinal de alerta» - Mamãe Coruja




Grândola, Vila Morena!
Meu sinal de alerta.
Armem-se todos de cravos:
Enfim, a Liberdade desperta.

Grândola, Vila Morena!
Sabem aqueles que vêm à luta,
Ancestrais foram contidos,
Servindo aos luxos. Plena labuta.

Grândola, Vila Morena!
Nunca mais serás proibida
Hoje e sempre na lembrança,
Da História não ficarás esquecida.

Da ditadura fascista,
Das guerras com irmãos, tantos anos.
Não queríamos fogo nas armas...
Só cravos e amor, cantamos.

Com cravos vermelhos, quisera,
Estar à tua espera, Soares.
E que por toda Lisboa querida:
Grândola, Vila Morena, entoassem.

(Criado, agora, com carinho da Mamãe Coruja)
Blog Chama a Mamãe

10 comentários:

  1. Noooossssaaaa! Sinto-me honrada, privilegiada... até enrubescida por estar em espaço tão rico.

    Abraços meus!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olha que estou impulsionada a responder-lhe, menina!

      Eliminar
    2. Como se diz na minha terra, nem és homem nem és nada se não responderes :O)

      Eliminar
  2. Já tive o prazer deste Abril lá pelo meu cantinho. Será com cravos do Amazonas...? Se pudesse, faria como pedia o Xico: mandava urgentemente algum cheirinho de alecrim...

    ResponderEliminar
  3. Sim,Orca. São cravos deste imenso Amazonas. Tu mereces!
    Para mim, o homem que se envolve em/com poesias tem n´alma sentimentos nobres, de uma essência (quase) divina. Eu já te dissera, em outras paragens, que teus versos contêm palavras de amor, mesmo quando tentas demonstrar o contrário.
    (Penso que tenha sido, mais ou menos,o que deixei registrado. Se mudei, não mudou o sentido. rs)
    Um abraço deste mundão de meu Deus!

    ResponderEliminar
  4. Um ramo de flores é sempre o anúncio de um milagre.

    ResponderEliminar