julho 04, 2012

“On vous sonne, et vous y allez!”

… trim… trim… trim…

- Estou?
- Dona Libélula Purpurina?
- É a própria.
- Nós estamos a fazer um estudo sobre rádio e televisão e gostaríamos de saber se vê mais a RTP1, a RTP2, a SIC…
- Não tenho televisão.
- Ah, não? E rádio tem?
- Rádio tenho.
- E que rádio costuma ouvir?
- A Smooth FM.
- FM? Parabéns!! No âmbito deste nosso estudo, pela sua resposta, acaba de ganhar um extraordinário prémio!
- Ah, sim? Pois olhe… tenho a informá-lo que só me interessa se for um elefante… e caso tenham a gentileza de mo enviar por correio…

Até aqui tudo certo (e excepto estar errado, é mesmo assim…) O que não consigo entender é como raio se pode consentir que ande para aí à solta sem freio uma tropa cujo ganha pão consiste na mais descarada burla e em molestar o cidadão comum… E toda a gente sabe e toda a gente viu… e siga! A sério. Faz-me confusão…

12 comentários:

  1. E não te pediram para pores as mamas ao léu, que estava a passar um satélite para as radiografar?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não. O tipo tinha mesmo pinta de mal intencionado... estava muito mais interessado no vil metal que no meu decote... Enfim... O mundo está perdido!!!

      Eliminar
    2. Se era isso, está mesmo :O)

      Eliminar
    3. E para apreciar um decote é preciso começar por saborear o dito muito antes que a língua se solte.

      Eliminar
    4. A ordem dos factores não é arbitrária?

      Eliminar
  2. Eu (não) acho graça a estas merdas... Há dias, um destes pobres mercenariozitos perguntou-me qual dos animais africanos tinha maior pescoço: a girafa ou o elefante. Tendo respondido o óbvio, ainda que tivesse sugerido que o outro tinha um apêndice maior do que o pescoço do óbvio, o que poderia não ser despiciendo - o que, aliás, não despertou qualquer ligação neuronal no meu interlocutor -, ouvi uma radiante exclamação de que eu era um notável vencedor de uma coisa qualquer que envolvia colchões ortopédicos, super-aspiradores, uma semana não sei muito bem onde mas para o resto dos meus dias e etc., etc., etc., se fosse naquele mesmo dia não sei muito bem onde... falar com quem já não sei bem quem...

    Questionei sobre a fartura e como estava em tempo de lazer, pedi confirmação do carácter gratuito da oferta, o que deu azo a mil e um subterfúgios... Aí, lembrei-me de que tinha o cozido ao lume e pedi-lhe para esperar um bocadinho e deixei o pobre pendurado.

    Então, não é que cerca de uma hora e tal depois, quando voltei ao telefone, o gajo já tinha desligado? Parece impossível esta falta de espírito de servir, não acham?

    Se calhar, o gajo queria era enganar-me...! O que que acham...?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Libélula (não) acha tanta piada como tu. E eu. E nós...

      Eliminar
    2. ... quando me tiram da cama fico um bocado fu... riosa...

      Eliminar
    3. ... e também não curto que não reparem no meu decote...

      Eliminar
  3. O Hermann fez umas rábulas (hihihi) fabulosas sobre este tema; os famosos Melga-Shops que tanta lágrima de riso me fizeram correr pelas bochechas. Parace-me que ainda estou a vê-los, a ele e o José Pedro Gomes: " Fantástico Mike!!! Fantástico Melga...."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é o lado engraçado desta merda.

      Eliminar