março 10, 2011

Indiferença

O indiferente age com desdém;
O que tem desprezo pelos demais;
O que prefere a desconsideração, apatia e insensibilidade no trato com os restantes semelhantes;
Os que praticam acções desenhadas com frieza;
É o sono da alma, o adormecimento da personalidade.

É pior a indiferença de um dito benemérito envolto em supostas responsabilidades sociais, que os gritos estridentes de pessoas de quem nada se espera;
É o péssimo pecado para com um semelhante, pior que odiá-los, vestir o lobo com pele de cordeiro e atraiçoá-lo com indiferença, a essência da desumanidade;
É o perpétuo adeus;

E os que advogam a Liberdade?
Será que falam daquela que os permite dizer o pensam sem se preocuparem com o limiar da interferência na Liberdade do próximo? Ou andar livremente na rua? E no seio dessa Liberdade qual a reacção interior quando passam pelos semáforos? E pelos vãos das escadas, o que fazem perante o que vêem, se é que sequer olham.

E os que proclamam a Igualdade?
Será aquela Igualdade que coloca no mesmo patamar dos restantes aqueles que sem condições para o trabalho, vivem cada dia sem preverem comida ou dormida quente para dali a umas horas? Ou será a Igualdade daqueles que convergidos pela contingência política de um sistema implementado, não encontram alternativas senão prostituírem-se de todas as formas conhecidas e mesmo as mais subtis, para poderem sobreviver?

E os que preconizam a Fraternidade?
É aquela em que uma pessoa com condições de vida, seja em que medida forem, ajuda o seu semelhante a somar dividendos ficando de consciência tranquila quanto à beneficência que praticou?

Não serão estes conceitos hipócritas quando não efectivamente trabalhados em conjunto?

Contudo existem claramente uns poucos que somam estes conceitos à Tolerância, seguem-nos diariamente, e juntos conseguem fazer alguma diferença nos protocolos sociais e morais implementados.
São poucos, são quase nenhuns, e menos ainda os que se expõem...

31 comentários:

  1. Isso, isso, fala de tolerância ao Charlie, fala...

    ResponderEliminar
  2. Eh pá... Não quero problemas com vizinhos, não!
    kkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderEliminar
  3. Ora bolas... tu e ele fariam certamente um excelente duelo... de argumentos :O)

    ResponderEliminar
  4. Boa, pode ser com um copo de tinto?
    Creio que partilhamos ambos de "Um copo de tinto e uma boa conversa revelam o sentido da vida (...)"
    :)))

    ResponderEliminar
  5. Pode revelar o sentido mas turva a direcção...

    ResponderEliminar
  6. A tolerância é essa coisa horrivel sim. O que é isso de tolerar? Tipo..." 'Tá ali uma melga na parede mas por ora não me apetece levantar da cadeira para lhe dar uma sapatada. Não gosto dela, mas por ora tolero-a. Mas ela que levante voo e que se chegue mais pró pé de mim que logo vê quanto a tolero".
    A tolerância é aquela coisa que fica logo a seguir à indiferença e imediatementa antes da cotovelada?
    Ora aí temos um belo tema para uma garrafita de tintol e coiso e tal, né???? :)

    ResponderEliminar
  7. Se eu contribuir também posso ir ao tintol? Kkkkkkkkkkkkkkk


    "
    tolerância
    s. f.
    1. Condescendência ou indulgência para com aquilo que não se quer ou não se pode impedir.
    2. Boa disposição dos que ouvem com paciência opiniões opostas às suas.
    3. Med. Faculdade ou aptidão que o organismo dos doentes apresenta para suportar certos medicamentos."

    (Priberam)

    Acho que o Charlie talvez a defina como no ponto 1 e o Nuno pende para o ponto 2.

    Já posso, já posso? ;):)

    ResponderEliminar
  8. Charlie, de facto a Joana está próximo daquilo que creio definir-me.
    Penso na Tolerância como o respeito paciente pelas opiniões e acções alheias tentando perceber as motivações de cada um.
    Se encontrar convergência dessas acções (alheias) com algum tipo de interferência na Liberdade alheia, tentarei então fazer algo mais do que simplesmente proferir a minha opinião.
    De todas as formas, inusitadamente e arbitrariamente, não tento impor aquilo que me determina, antes reunir opiniões na expectativa de ponderar a minha própria razão.

    Abraço,
    NS

    ResponderEliminar
  9. Joana, tens a certeza que queres vir...?! Tintol... muito... algumas horas... a minha resistência já não é o que era... bem, se calhar é melhor irmos todos de taxi.
    :)))))))))

    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Grande elevação, sim senhores! E com tintol, tem sempre outro encanto.

    Aliás, o tintol tende a levar-nos à tolerância, temperada com alguma condescendência. Ainda que não haja nada pior do que um «mau vinho».

    Então, fazemos assim: um belo tinto, as três componentes da Joana - que a tolerância também não pode transpor limites físicos, pois aí passa a chamar-se tortura... - e, já agora, um queijinho como manda o bom gosto - e temos a tertúlia composta!

    Se quiserem e não me pendurarem na árvore como ao bardo do Astérix, até vos digo um poema, carais!

    ResponderEliminar
  11. Pois bem. Ai esta a palavra magica: tertúlia.
    Venha o queijinho, o bom tinto e a conversa animada.
    (Ja agora, alguém tem sugestão de data e local???)
    :))))))

    ResponderEliminar
  12. Nuno, ficas nomeado Fundo organizador da tertúlia. Ou será melhor chamar-lhe tintúlia?!

    ResponderEliminar
  13. Olá NS, Shagwell, São Rosas Shagie girl Anadrade e Laurinha e ORca.Lindos meninos e meninas :))
    Saibam V. Exas meus caros cobloguistas que para tanta língua afiada, não chegarão umas garrafas. Talvez o melhor seja convencer o Manuel Falcão - o rei das bouças- a armarmos a jeira no barraco que ele tem por lá a panóplia de enchidos e os pipos de verdasco de estalo, um belo sofá sovado e um espaço para dar à língua.
    E ja agora que ninguém nos ouve, ele é o gajo indicado para falar de intolerância. Olá se é....

    ResponderEliminar
  14. ah.... e Shagui linda.
    Nasci e vivi numa sociedade multicultural e NÃO Sou intolerante.
    Aliás o que gosto mesmo é de discutir, nem sequer quero ter razão, embora venda a pele cara, só para chatear os neurónios.
    E depois nao sou o que escrevo, são alter egos, o vestir de peles alheias.ok?
    MAs ja que falamos disso, irei fazer uma posta de pescada sobre o tema... lá mais para diante..

    ResponderEliminar
  15. Oh São... Eu até fico, mas o Charlie falou em enchidos... acho que ele está mais habilitado!!!!!

    :)))))

    ResponderEliminar
  16. Nuno, uma coisa é falar de enchidos, outra é saber usá-los :O)

    ResponderEliminar
  17. O Nuno que não se balde a organizar.

    ResponderEliminar
  18. Sao, naturalmente não irei comentar (em público, valha-me Deus), a capacidade do douto vizinho em usar enchidos...
    kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderEliminar
  19. Miss...
    Descansa, com a quantidade de coisas que há a comemorar, festarolas não vão faltar. :)))))

    ResponderEliminar
  20. Oh Paulo. Baldar não conheço. :)))
    Irei organizar sim, podes contar com isso.
    (Já agora, qual é a dispersão geográfica da Seitinha...?)
    :)))

    ResponderEliminar
  21. Está descansado que ninguém te nomeou comentador de enchidps :O)

    A Setinha espalha-se por Beja (1), Lisboa (3), Porto (3) e Coimbra (1). O Caetano é do Fundão. Eu diria que Coimbra é o ideal... cof... cof... cof...

    ResponderEliminar
  22. Bem, se toda a gente começa a puxar a brasa à sua sardinha, estamos bem arranjados...: )))
    Por isso irei ponderar um local e depois informo-vos, ok?
    (Ninguém tem problemas que seja fora do país, pois não...?) :)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))9

    ResponderEliminar
  23. As meninas à sua sardinha e os homens ao seu sardo.
    Ó Nuno, tu não nos desgraces que isto vai uma crise, camarada, pá!

    ResponderEliminar
  24. Errr....
    Eu estava a pensar utilizar os fundos que a Miss vai realizar com as vendas do Best Seller...
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderEliminar
  25. Err... Mas tu pensas que eu escrevi algum "Harry Potter"? Ahahahahah

    ResponderEliminar
  26. Sim, sim... e ao preço de venda do livro... noves fora... e vão dois... talvez uns € 50 ao fim do ano. Ides ao Taiti?

    ResponderEliminar