abril 20, 2012

Não “curto” áudio-coiso

Eu não quero pagar uma “contribuição áudio-visual” de 4,50€, mesmo que seja com um IVA só de 6%, na minha factura de electricidade.

Pá, não quero, sei lá! Eu nem televisão tenho. Quando me vieram chatear com a coisa da TDT mandei-os para um sítio que aqui não vou dizer e acabei com aquilo. Agora só ouço rádio. Tenho que pagar para ouvir a Smooth FM? Na factura eléctrica? Mas porquê? Por ligar o rádio à tomada?

Está bem que ninguém me perguntou nada. Mas não sei… A mim não me apetece pagar… Alguém aí quer pagar para isto? Eu não. Antes quero pagar para a conservação do Ceratotherium simum cottoni, que fiquei muito sensibilizada com o problema desta espécie, e então gostava que pusessem dez guardas bem armados de volta de cada um dos últimos exemplares. Aparecendo algum caçador furtivo (ou outro), zupa com um balázio.

Agora… “contribuição áudio-visual” na factura eléctrica não “curto”. “Curto” galinhas. “Curto” rinocerontes. “Áudio-coiso”, não “curto”. (Quer dizer… não posso afirmar com toda a certeza porque não sei o que é... mas, pelo sim, pelo não, à cautela, não “curto”).

33 comentários:

  1. Boa entrada, Libelita.
    Que o que dizes nunca se fique pelas ondas "curtas".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oxalá! ;) (Mil perdões por ter inaugurado o marcador sem dizer nada a ninguém...)

      Eliminar
    2. Fizeste bem. Aqui, ao contrário d'a funda São, em que há muitos engarrafamentos de posts, aqui cada um publica quando pode... e vê que pode.

      Eliminar
    3. Sabes que a única coisa que "curto" "engarrafada" é o vinho... E achas que posso publicar "coisas esquisitas" assim "só porque me apetece"?

      Eliminar
    4. O que te "apetece" são opiniões bem fundamentadas e é aqui o sítio delas. Os teus textos sobre a sexualidade, aliás, "cabem" aqui tão bem como n'a funda São.

      Eliminar
    5. Eu logo os "meto" cá... :) E opiniões fundamentadas (se a Nossa Senhora de Fátima me ajudar) também... :)

      Eliminar
    6. E a imagem e o textículo ali para a direita.

      Eliminar
    7. Eu enviei-te... Não recebeste? O retrato e o testículo?

      Eliminar
    8. Não recebi, cachopa. Reenvia.

      Eliminar
  2. Numa coisa tem razão: Eles, os tipos maus servidores, sacam a todos sem a nossa permissão mas com as bênçãos do governo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha... eu até acho que o Estado está a ser muito moderado... Porque se aplicam uma taxa de 23% ao consumo eléctrico e ao papel higiénico, nos meus cálculos, por um "áudio-coiso" deviam cobrar uns 75% de IVA... ou assim... Mas, claro, eu falo sem saber o que estou a dizer... porque na volta isto é mesmo muito importante...

      Eliminar
  3. Em primeiro lugar, que bem que te vieste a este espaço. Com a bênção de la Madre San Rozas, más conocida por Rozita la bella, e do dono da chafarica o menino Paulinho, tiveste duas em uma, uma parelha de padrinhomadrinha, em cheio. Aguardo muitas e profícuas dissertações Libelinas, e podes contar com um mata-moscas, digo, mata-libelulas sempre às voltas pelos ares. :)
    E o tema,,,
    O tema dá-lhe em cheio. Somos todos voluntários à força para ouvir-ver os audiovisuais.
    A 4.50Euros dá- por consumidor e por ano - uns cinquenta e quatro €uros anuais. A multiplicar só por 1.000.000 de consumidores, dá a linda quantia de 54.000.000 de €urinóis, digo €uróis.
    Mas se por cá, o ouvir ou não, depende apenas da vontade, já o caso muda quando se está no estrangeiro, em barcos ou locais remotos, muitas vezes muito pobres onde não há net, nem satélite (por falta de dinheiro), ou em serviços móveis, tipo camionistas de longo curso.
    Para esses que QUEREM OUVIR a radio-difusão portuguesa, em ex-colónias, ou em situações de emigração, QUE QUEREM manter acesa o última reminiscência da Diáspora portuguesa que é a cultura viva, a língua, para esses deixou de haver a RDP Internacional.
    Disse então com o tom convincente de um vendedor da banha da cobra, ou de automóveis em segunda mão (impecável-só-teve-um-dono-que-era-professora-e-nunca saiu-da-garagem), o intragável ministro Relvas, homem que cada vez que mente, lhe cai um braço, e como se vê, não é maneta....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sabia que irias gostar :o)

      Eliminar
    2. se calhar caiu-lhe outra coisa, mas como já mal se notava ninguém deu pela falta...

      Eliminar
    3. Obrigada, Charlie! Pelos votos de "acolhimento"... ;)

      Eliminar
    4. Ó malta, mas alguém percebe porque é que aquilo vem na factura de electricidade? Eu ando muito "desligada", só quero é ouvir jazz... e tal... se calhar está a escapar-me alguma coisa... Alguém me explica o que é aquilo do "áudio-visual"?? É que eu não entendo!!

      Eliminar
    5. Estás a falar a sério?! Não sabes a origem dessa taxa que já vem na factura da electricidade há bué?!

      Eliminar
    6. Eu sou muito distraída... Mas noutro dia estava a falar com a minha mãe a respeito das lâmpadas de leds (que eu gosto muito dessas coisas) e ela disse-me que só para aí metade da factura de electricidade respeita ao consumo. Como eu não gasto muito (até por respeito ao planeta), significa que por mais que poupe pago sempre o mesmo!! Custou-me tanto a acreditar que fui analisar a factura de fio a pavio... Foi quando começo a descobrir para lá estas maravilhas... mais um "imposto especial" e tal... Fiquei completamente chocada! Isto ultrapassa todos os limites de razoabilidade. Um dia destes ainda me vem uma "taxa de respiração" na factura da água!! Ou pior!! Porque neste caso eu nem tenho televisão!! Não tenho. Não quero! Até ver não quero. E se me chatearem muito o rádio também vai borda fora. Era o que faltava pagar uma taxa "áudio-visual"!! Ao menos podia ser "audiovisual", mas depois de já ter perdido o tempo que perdi a analisar a factura, a ir à procura de uma resposta para este absurdo e mais a RTP e não sei quê, não vou agora também consultar o prontuário ortográfico!! Mas audiovisual não leva hífen! É uma vogal em ligação a uma consoante, não leva!! Uma pessoa ainda fica maluca!! Eu exigo ao menos ser roubada em bom português!! Não me venham cá com coisas esquisitas!!

      Eliminar
    7. E sabes? Há coisas que mais vale ser-se o último a saber. Aliás, o melhor é não se saber. Isto é muito preocupante... Isto abre um precedente gravíssimo!! Era mais feliz, vivia mais descansada, antes de saber que pago uma contribuição "áudio-visual"... Isto até me pode dar insónias!

      Eliminar
    8. Isto é mesmo absurdo, porra!! E se é para a RTP, se afinal é um pagamento ao Estado, porque raio lhe aplicam IVA?? Só falta porem-me IVA em cima do IMI e do IRS!! Está tudo doido??

      Eliminar
    9. O IVA é um imposto (estúpido) sobre o valor acrescentado. Qual é "valor acrescentado" de uma "contribuição áudio-visual", alguém me sabe explicar??

      Eliminar
    10. Mas achas que, se não tiveres rádios em casa (e no carro) não pagas? Ai pagas, pagas. Que tal?

      Eliminar
    11. Não está mal... É fixe. Gosto do modelito. Quando for grande também quero ser capaz de ter ideias assim... brilhantes!

      Eliminar
    12. "Alista-te", diziam, "terás vida pura e sã camaradagem"...

      Eliminar
    13. ... se me continuam a puxar assim pelos parafusos... eu ainda dou é em serial killer...

      Eliminar
  4. E ninguém diz nada a respeito do termo "áudio-visual"?? Eu acho tão giro! Um miminho de português! Adorei. Foi a parte da factura de que gostei mais! Do IVA a 6% também gostei... pareceu-me tão "pouco ambicioso"... Fez-me pensar... Mas depois cheguei à conclusão de que afinal não concordo!! Uma pessoa a roubar não deve ser "pouco ambiciosa", pois não?

    ResponderEliminar
  5. É um termo como mála-posta :O)
    Eu acho que não é roubar. É mais enroubar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... sem recurso a lubrificante...

      Eliminar
    2. Ainda nos debitavam na factura uma taxa de "térmo-lubrificante"

      Eliminar
    3. Já não digo nada... Desde que vi uma vara de porcos a andar de bicicleta... tudo é possível...

      Eliminar
  6. Uma vara em cima de uma bicicleta... hmmmm
    Oraxacaver....Eu ando de bicicleta, gasto nela energias renováveis, `a base de entremeadas grelhadas e sim, quando regresso venho bem porquinho.
    Tenho de ir ver se a factura da EDP tem lá um imposto de vara...
    Não sei porquẽ, mas de repente tudo é possível.
    Assim como assim, a nossa conta da luz parece uma árvore de Natal, cheia de coisas penduradas que nada tem a ver com a energia gasta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei a imagem da árvore de Natal! Boa, Charlie! :O)

      Eliminar