abril 02, 2012

«Obras faraónicas no apoio social» - Jaime Ramos

Os portugueses adoram obras faraónicas, com gastos excessivos.
Os nossos líderes, sejam políticos nacionais ou locais, dirigentes associativos , desportivos, humanitários ou na solidariedade caem frequentemente nesta tentação.
Adoram ficar na história como responsáveis por obras milionárias, majestosas, onde se valoriza mais o que se gasta, de preferência sempre mais que o vizinho, e se despreza o que se poupa.
Todos conhecemos gastos sumptuosos do Estado, desde o Centro Cultural de Belém aos magníficos estádios de futebol, passando por centenas de outros exemplos.
Esta necessidade exibicionista é bem evidente também ao nível particular, na dimensão e custo das moradias, no tamanho dos andares, no número de varandas que ninguém usa, nos modelos dos carros , nos telemóveis e nas marcas de roupa…
Esta característica, que nos faz desperdiçar rios de dinheiro, é mais criticável quando se evidencia na área da solidariedade social.
Custa-me ouvir dirigentes das instituições de solidariedade a inaugurar lares para idosos, ou para outros públicos a necessitar de apoio social, declarando com satisfação que se tratam de equipamentos de luxo, verdadeiros hotéis de 5 estrelas.
Os pobres, os idosos, os deficientes, os doentes mentais, todos têm o direito a exigir que a sociedade os trate com bondade, com dignidade, em instalações com qualidade, com segurança e higiene adequadas.
Aproveitar as suas necessidades para fazer projectos caros, desadequados, com custos excessivos, pouco eficientes, revelando evidentes desperdícios, é um insulto à pobreza e ao respeito que as pessoas carenciadas nos devem merecer.

A pobreza deve merecer respeito

Permito-me referir três exemplos concretos para suscitar a reflexão.
Há dias no Diário de Coimbra li que uma Santa Casa da Misericórdia vai construir um lar para pessoas com deficiência. O lar terá capacidade para 36 utentes e na construção irá gastar cerca de dois milhões e cem mil euros. Teremos ainda de acrescentar terreno, custos com projecto, equipamento, roupas, etc.
Só o investimento na construção aponta para o valor de cerca de 58.000€, cinquenta e oito mil euros por residente.
Na Voz das Misericórdias li que uma outra Santa Casa inaugurou um lar para 24 idosos onde gastou um milhão e quinhentos mil euros. Corresponde a 62.500€ por idoso.
No semanário do Algarve, O Postal, de 24 de Fevereiro, li que uma Instituição de solidariedade social vai construir um lar para 30 idosos onde tenciona gastar, só nas obras, um milhão novecentos e cinquenta mil euros. Cada cama para idoso vai custar 65.000€.
Estes números são escandalosos.
Cada cama, nestes três exemplos, custa mais que um apartamento T3, de qualidade média, numa das nossas vilas.
Nas orientações técnicas do Instituto do Turismo de Portugal considera-se que um Hotel de quatro estrelas não pode ultrapassar um custo de cem mil por quarto, para duas pessoas, 50.000 por cliente, sob pena do investimento não ser rentável.
Podemos, num país em crise, a mendigar dinheiro à troika, gastar muito mais numa cama para deficiente ou idoso do que se gasta num apartamento para uma família de classe média ou num hotel de quatro estrelas, com os seus restaurantes, bares, piscinas, spas, etc?
De quem é a culpa? Dos regulamentos? De exigências da segurança social? Do exibicionismo megalómano dos dirigentes? De arquitectos que desenham projectos desajustados? De todos nós que nos calamos perante esta insensatez perdulária, gastadora?
Portugal tem de poupar cada tostão.
O dinheiro disponível deve ser bem investido, na produção de riqueza, criação de emprego e satisfação de carências sociais.
É no apoio aos mais necessitados que a exigência de boa gestão se torna mais imperiosa. Perante as necessidades dos pobres é crime, nas Santas Casas pecado, desperdiçar centenas de milhares de euros em gastos sumptuários.

Jaime Ramos
Excerto do livro «Não basta mudar as moscas»

30 comentários:

  1. Que o Estado gasta dinheiro a mais é sempre uma afirmação redutora. Deve dizer-se que os senhores que administram os interesses colectivos, ou seja, os que gerem o Estado, aplicam os esforços colectivos expressos em impostos de forma desadequada.
    Não nos venham dizer que o " Estado" não tem vocação para isto ou aquilo, que isso é a falácia do costume dos neoliberais, e que se deve dar tudo aos privados para que os preços sejam concorrenciais e desse modo sejam mais baixos. Temos visto como por exemplo no caso dos combustíveis, o caso é o inverso e já temos todos saudades dos tempos da regulação imposta pelo "Estado" mesmo com a roubalheira dos impostos que pendem sobre cada litro.
    O que seria bom, mas mesmo bom, era que todas as obras Públicas fossem tornadas públicas ainda na fase de orçamentação. O que se passa pelo contrário, é que nos atiram um número abstracto para cima que além do seu vago gigantismo, pouco ou nada mais acrescenta.
    Não sei por exemplo se uma cama especial para certas maleitas custa mil, dois mil ou dez mil euros, mas os especialistas na área, postos perante um orçamento serão capazes de fazer ouvir a sua voz. Ou seja, a democracia aberta é isto e não apenas o delegar da nossa voz a alguns eleitos os quais a maior parte das vezes são "his master's voices" e "yesmen".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho um sonho... criar uma base dados internet em que as pessoas possam fazer alertas, questões, críticas, acusações (sustentadas) a entidades (públicas e privadas), as quais seriam encaminhadas para a respectiva entidade responder, publicando também essa resposta.

      Eliminar
  2. I Have a dream
    dizia
    Martin Luther King....

    ResponderEliminar
  3. Vale muito mais um só
    Homem da Luther
    do que um bando deles,
    todos filhos da Puther

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É como no futebol
      quando comem a Fruther

      Eliminar
  4. Se Portugal não tinha dinheiro,não jogava.Apostou erradamente em 48 auto estradas,2800km CEMITÈRIOS,15.740 mortos em 13 anos,o equivalente a um cemitério duma cidade.Dinheiro mal gasto,em grandes auto estradas ao lado de linhas de caminho de ferro,que encerraram por falta de utentes.São perto de 800km de linhas encerradas,que á 100 anos eram PATRIMÒNIO DO ESTADO.Portugal tem que seguir o exemplo de muitos paises,que estão a renovar as linhas econstruir novas,para velocidades de 250km/h.Com crise de trabalho,era altura para renovar a REDE FERROVIÀRIA.Carruagens de dois pisos,vagons com o dobro da caixa,e linhas eletrificadas,para o século vinte e um.As auto estradas foi o maior desastre financeiro para Portugal em oito séculos.Estamos á beira da banca rota,por uns anos.Depois do 25 de Abril,só tivemos maus governantes.Mauricio Arrais.Abrantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas... se estamos à beira da bancarrota, com que dinheiro se renovam as vias ferroviárias?

      Eliminar
    2. Snr Paulo:È engraçado o meu filho é Paulo Arrais.Vamos ao assunto.Como deve saber as linhas em Portugal tem á volta de 150 anos,construidas pelo Estado por meio de ações.Como sabe as linhas foram construidas,de maneira a passar o mais perto pissivel das populações,aproveitando linhas retas,e desviar de elevações do terreno.È verdade que algumas povoações estão um pouco desviadas.A BANCA ROTA,o desastre financeiro maior de oito séculos,em minha opinião,foi Portugal no ano 1980,em vez de mandar encerrar os 800km de linhas,e construir mais de 2800km de auto estradas CEMITÈRIOS,(700 mortos 2011)fazia como os paises da Europa ,América e outros,que construiram milhares de km de linhas,e renovaram as linhas antigas.Eu não conheço as auto estradas perto de 50,mas aí uma dezena são paralelas ás grandes linhas.Por alto a frota de tires é superior a 10.000,talvez superior á da CP.Construiram uma grande empresa ao lado da outra,que não deviam.A divida á Troika,para as auto estradas,foi a ruina financeira de Portugal,não se justificou.Mas agora tem ums quinze milhões para construir mais sete auto estradas FARAÒNICAS,não sei onde!Para a LINHA DO ORIENTE TGV ,em via única não tem um euro.O dinheiro para renovar a REDE FERROVIÀRIA,foi gasto individamente nas 48 auto estradas, CEMITÈRIOS de PORTUGAL.Desde 1980 morreram nas novas auto estradas 15.740 passageiros,que daria para um cemitério duma mèdia cidade.Nestes 13 anos que eu saiba não morreu um passageiro nos combóios.O COMBÒIO È O TRANSPORTE TERRESTRE,MAIS SEGURO,CÒMODO,ECONÒMICO,NÃO POLUENTE E RÀPIDO NO MUNDO PARA O TERCEIRO MILÉNIO.A VIDA DUM PASSAGEIRO NÃO TEM PREÇO.Nunca é tarde para ensinar.Ex chefe de estação e de combóios na estrela de Evora.Mauricio Arrais.Abrantes.

      Eliminar
    3. Obrigado pela lição. Mas não me respondeu: quer que eu publique este seu texto no blog?

      Eliminar
  5. Portugal etá arruinado financeiramente,pelo dinheiro gasto em perto de 50 auto estradas,uns 2900km,por montes e vales.que não eram precisas.Desde o 25 de Abril os ministros destruiram Portugal com a colaboração da Troika.Auto estradas,de 100,200 e 300km ao lado de linhas férreas foi a matar a REDE FERROVIÀRIA.Temos as linhas encerradas á mais de 30 anos.Os outros paises constroem linhas com centenas de quilómetros,em Portugal é só destruir.A CP e Refer tem de ter material circulante moderno,carruagens de dois pisos,vagons com o dobro da caixa,e linhas todas renovadas com travessas de betão e algumas eletrificadas.Portugueses:O COMBÒIO È O TRANSPORTE TERRESTRE MAIS SEGURO;CÒMODO,ECONÒMICO,NÃO POLUENTE E RÀPIDO NO MUNDO PARA O TERCEIRO MILÈNIO.Desde 1989já morreram nestas 48 autoestradas 15.740 passageiros,que fizeram a sua ultima viagem num carro preto cheio de flores,em marcha lenta para a sua ultima morada.Nunca viram um combóio em dupla tração pela cauda.Os combóios já podem circular a 570km/h.È uma maravilha,mas eu náo gosto mais do que a 222km/h.Exchefe de combóio na estrela de Evora.Mauricio Arrais.Abrantes.

    ResponderEliminar
  6. Obrigado pelo comentário, Maurício Arrais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portugueses:Quando encerraram os 800km de linhas,á uns 30 anos,já em Espanha e França,tinham carruagens modernas de dois pisos,nas cidades de Madrid e Barcelona.Até o Brasil,apostou em linhas de longo curso milhares de quilómetros de costa a costa.Só Portugal não soube copiar pelos outros paises,e investiu erradamente em AUTO ESTRADAS,CEMITÈRIOS DE PORTUGAL.As vantagens de carruagens de dois pisos são muitas:1-Metade das locomotivas,2.Metade das carruagens.3-Metade da tonelagem a rebocar.4-Menos consumo.5-Mais velocidade.6-Mais fácil condução.7-Metade dos combóios a circular.8-Em caso de acidente grave metade das unidades envolvidas.9-Metade do pessoal de trens.10-Metade do dinheiro na compra de locomotivas e carruagens.Em os combóios de mercadorias,começarem a circular com vagons cisternas ,com cerca do dobro da tonelagem,em dupla tração de Sines e Setubal para Madrid,os 3000 tires que agora passam por Hendaia,diáriamente tem os dias contados.A FERRÒVIA ganha á RODÒVIA por 10-0.Não sei se o meu filho Paulo,em Evora,tambem aprende.Os combóios em Portugal e Espanha são os mais seguros no Mundo.Nunca é tarde pra ensinar.A VIDA DUM PASSAGEIRO NÃO TEM PREÇMauricio Arrais.Abrantes.

      Eliminar
    2. Não me chegou ainda a dizer se autoriza que publique os seus textos num post...

      Eliminar
  7. Caro Moura:Que eu saiba ainda se trabalha em auto estradas,quem paga não sei!Não acha que a nossa REDE FERROVIÀRIA,em 1980,em vez de ser encerrada,devia ser toda renovada com travessas de betão e eletrificada como fizeram os outros paises?Veja no mama as linhas de Portugal,e veja se fazia melhor?Portanto a divida á Troika,não se justificava.Não diz nada sobre os numeros do meu comentário!Paulo,o nome do meu filho,O COMBÒIO È O TRANSPORTE TERRESTRE MAIS SEGURO,CÒMODO,ECONÒMICO,NÃO POLUENTE E RÀPIDO NO MUNDO PARA O TERCEIRO MILÈNIO.Mais o COMBÒIO em Portugal e ESPANHA ,são os mais seguros no Mumdo.A bitola 1,668m é a mais larga,dá mais estabilidade aos combóios em circulação.Por favor não me faça mais pontos de interrogação.Ex chefe de estação,e de combóis na estrela de Evora.Mauricio Arrais.Abrantes.R.D.Antonio Prior do Crato n286 1ºDtº.

    ResponderEliminar
  8. Maurício Arrais, eu não digo nada sobre os números que indica porque não tenho quaisquer conhecimentos a esse nível. Se quiser, posso publicar estes seus comentários como um post. Assim as pessoas poderão ler e, se houver alguém que tenha uma opinião formada, transmite-a nos comentários nesse post.

    ResponderEliminar
  9. Caro Paulo:Eu não sei trabalhar com o computador,sou muito fraquinho.Eu sempre joguei ao ataque,como avançado centro,e como chefe de combóio.Se sabe publicar fôrça,está á sua vontade.Eu nem sei a palavra passe.Hoje estive a ver qual o combóio maior no Mundo.Calcule na Austrália,oito locomotivas a rebocar 682 vagons,com 99.732 toneladas,com o comprimento de 7,75km á velocidade de 75km/h.As oito locomotivas devididas pelo combóio.Comprimento da linha 426km.Entrou para o guiness em 21/6/2001.Eu gostava de ver um mapa de Portugal com as linhas,e as auto estradas,ver as distancias entre elas.Que somos campeões mundiais em extensão e crescimento da rede de auto estradas desde 1990.Mas estamos á beira da banca rota,por uns anos.Se saisse o euro milhões a Portugal!A mim já me saiu o totobola,1 e2 prémio e totoloto 2 prémio.Com 85 primaveras e viver só o ferroviário está no fim da viagem,e terei de ir num carro preto com algumas flores para a ultima morada.È a ultima viagem do ex chefe de combóios da estrela de Evora.Mauricio Arrais.Abrantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem haja, Maurício Arrais. Quando eu tiver um pouco de tempo, faço um post com excertos dos seus alertas.

      Eliminar
  10. Amigo Moura: Muito obrigado pelo seu bom trabalho.Renho estado a ver está tudo junto é um mestre em computador.Uma que ontem descobri:Na Austrália um combóio de mercadorias com oito locomotivas 682 vagons,com a tonelagem de 99.732 t e o comprimento de 7,75 km á velocidade de 75km /h.Como é possivel oito locomotivas rebocar tanto vagon e a tonelagem!No dia que escreveu fiz 85 primaveras!Obrigado.Mauricio Arrais.Abrantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bela idade. E com esse dinamismo. Parabéns!

      Eliminar
  11. Portugueses:Eu não sabia que em 1983 já a França tinha construido mais de 740 carruagens de dois pisos,e que em Madrid e Barcelona á vinte anos que circulam combóios com carruagens de dois pisos.A CP devia ter modernizado todo o material circulante incluindo vagons com o dobro da capacidade.A Australia no ano 2001 ensaiou um combóio de mercadorias,rebocado por oito locomotivas,rebocando 682 vagons con 99 732 toneladas,a uma velocidade de 75km/h.O comprimento do combóio era de 7,75km.Na rodóvia seriam precisos 682 motoristas!Portugal devia ter renovado as linhas com 100 anos e não ter construido auto estradas,que não se justificavam,a fazer concorrência desleal á CP. nas grandes linhas.Com duas grandes transportadoras a fazer concorrência,em anos de crise,vai resultar numa ser arruinada.

    ResponderEliminar
  12. São Rosas:Quer publicar os meus textos num post,se não tiver inconvenientes para mim está á vontade.Eu nem sei o meu passe,nem sei ver o correio.Escrevo os comentários cortam por não mencionar o passe.Tenho sorte aproveito o anónimo,para comentar.Não consigo o mapa de Portugal com linhas de caminho de Ferro,as 48 auto estradas com os quilómetros de cada.Julgo que queiram encerrar as linhas internacionais,o que seria mais uma desgraça.Quem foram os responsáveis pelas 48 auto estradas,e qual o seu custo?Se tem interesse em publicar o texto alinho,como dantes alinhava no ataque do Portalegtense.Ex chefe de estação e de combóios va estrela de Evora Mauricio Arrais.Abrantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já lá está.
      Veja se gosta.
      Obrigado!

      Eliminar
  13. É só eu ter um pouco de tempo e transcrevo num post as suas ideias.
    Quanto aos comentários, para ter a palavra de passe seria preciso estar registado no Blogger (onde está este blog). Mas tem uma opção em vez de "anónimo". Use a opção antes dessa: "Nome/URL". E basta preencher o primeiro campo ("nome").

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mauricio Arrais16 maio, 2012 12:40

      Caro Moura:Vamos lá ver se estou a entrar na jogada.Esrou interessado em ver um mapa de Portugal,com as linhas de caminho de ferro,incluindo as encerradas,e todas as auto estradas,construidas e estradas antigas.Para ver a concorrência desleal á CP durante 30 anos.Para provar que as auto estradas foram inuteis,e arruinaram Portugal em mais de 848 milhões de euros.As linhas de fromteira,devem ser todas renovadas,e pelo menos um serviço minimo com carruagens de dois pisos,incluindo o LUSITÂNIA EXPRESSO.Ao longo de 150 anos a CP foi mal administrada.Toda a gente viaja com descontos até o ESTADO,exercito,marinha,aviação,finanças,GNR,PSP,familia dos funcionários.Em a CP renovando todo o material circulante,e combóios em dupla tração dos portos de Sines,Setubal,Lisboa Aveiro Leixões,Viana,para Espanha,a concorrente que os maus ministros,mandaram construir teram de parar.Foi um ataque da RODÒVIA á FERRÒVIA,feito pelos maus governantes,em 30 anos.

      Eliminar
    2. Bem vindo, Maurício que deixou de ser anónimo!
      Pois, o pedido é interessante... eu é que não sei onde arranjar isso.

      Eliminar
  14. Caro Moura:Das 48 auto estradas,a A23 casou com a linha da Beira Baixa,em T.Novas vão de braço dado até perto da cidade da Guarda,e é ai que se juntam para sempre,mas não vão ter muitos meninos.A auto estrada,foi para cima da linha e matou-a.Quem foi o falhado ministro que fez este casamento de 227 anos? Perdão 227km?Mauricio Arrais.Abrantes.

    ResponderEliminar
  15. Sãozinha veja lá,se a Linha da Lousã,é toda renovada,com travessas de betão,bitola 1,668m ibérica e eletrificada.Carris todos novos.Quem estraga velho paga novo.Carruagens de dois pisos se os tuneis tiverem gabarito.Carruagens todas novas.Tem lindas estações e apeadeiros.Como a distância é de 37km não serão precisos cruzamentos.Ex chefe de estação e de combóios na estrela de Evora.Mauricio Arrais.Abrantes.

    ResponderEliminar