abril 08, 2011

A Rapariga Vulgar (IV)

A Maria Multidão sai às ruas, traz nos olhos sem olhar o silêncio constantemente mutilado, uma língua esponjosa derrama o seu tamanho baço para fora daquela boca que cospe palavras numa saliva engrossada pela morte da alma. O deserto avançou-lhe pelo peito, faz muito que o coração se transformou num cacto para não morrer de sede. Noites como esta, só escuro, só chiar metálico de tendões (pouco) humanos, só areia, são apenas a dor da lua, o ateísmo crepita nos risos de estranhos contra a sua pele, o arrepio percorre-lhe a luz que se apaga. Já me cansei de gritar que vão matar a lua, faz muito tempo que já me cansei de gritar. Só a solidão não ofende a beleza do silêncio, coagula-o no seu sangue, dissolve-se e mantém-se viva em mim, chama-me para dentro deste templo de carne e mostra a sua tristeza à lua por todas as minhas janelas sempre abertas. [A Rapariga Vulgar (III)]


A mulher lembra-se, ao amanhecer, do amor que fez com o homem, ao tocar o líquido coalhado que reteve na vagina, nada mais reteve, não sobrava mais memória. Todas as manhãs se toca, sozinha, sacia-se em partes que fingirá saciar à noite, em braços alheios, para que lhe saciem o coração. Fecha os olhos e sonha-se uma rapariga vulgar, como aquela que o marido espreita, envergonhado; sonha que atrai desejo suficiente para lhe saciarem o corpo com mais de três golpes de anca, sonha um auge em explosão de abraços entre a ternura e a luxúria, os seios quentes entregues ao toque flamejante de dedos estranhos, contudo meigos, domados pela sua beleza, as pernas entreabrem-se e chega o grito que a almofada amordaça. Mais tarde, sai às ruas, vai espreitar o quadro do marido, da rapariga vulgar e dos seus amantes imaginários.

10 comentários:

  1. Miss... nem sei que te diga, rapariga invulgar!

    ResponderEliminar
  2. She is indead someone special...
    Isn't she?
    São Rosas, my dear?
    Are the same kind of girl,as the story tells us about?

    ResponderEliminar
  3. errata ou herrata, Nelo Dixit
    imperdoável falha, mil perdões senhor(a)es vos suplico.

    She is indead someone special...
    Isn't she?
    São Rosas, my dear?
    Are you the same kind of girl,as this story tells us about?

    ResponderEliminar
  4. "indead" é estar morto por dentro?

    ResponderEliminar
  5. Hummm... hmmm... um belo jogo de espelhos...

    ResponderEliminar
  6. ehehehe lindo, of course indead has the meaning of being dead from on what the inner side concerns.
    Once more, you're right babe, :)

    ResponderEliminar
  7. A São Rosas adora quando lhe chamas babe...

    ResponderEliminar